Primeiro caso ao vivo de fundoplicatura com uso do EsophyX é transmitido no IRCAD América Latina




Operação contou com preceptoria, diretamente dos Estados Unidos, de Barham Abu Dayyeh, da Clínica Mayo_

A unidade Rio de Janeiro do IRCAD, maior centro de treinamento em cirurgia minimamente invasiva do continente, foi palco para o primeiro caso ao vivo de fundoplicatura endoscópica de toda a América Latina, com uso do dispositivo médico EsophyX.

O procedimento foi realizado pelos médicos especializados em cirurgias digestivas e endoscopia Manoel Galvão Neto, Eduardo Grecco e Thiago Ferreira Souza, com apoio de Felipe Matz Vieira e Flavio Ramos, que selecionaram o case.

A operação ainda contou com participação remota e preceptoria, diretamente dos Estados Unidos, de Barham Abu Dayyeh, vice-presidente de inovação e diretor de endoscopia avançada da Clínica Mayo, que possui unidades no Arizona, Flórida e Minnesota.

Grecco, que é cirurgião do aparelho digestivo, avalia como sucesso total esta primeira demonstração. “Quando você está em um caso ao vivo e demonstrando, existe uma grande preocupação para que o procedimento seja muito bem executado. E foi tudo tranquilo, totalmente seguro, sem riscos e nenhum tipo de intercorrência e complicação”, conta.

Prova disso é que o procedimento foi realizado em apenas 30 minutos, aproximadamente, e o paciente saiu de alta sem nenhum problema e já está sem sintomas, segundo o gastroenterologista Manoel Galvão Neto. “Certificando mais uma vez que a fundoplicatura funciona quando muito bem indicada”, complementa.

A técnica consiste na implantação do EsophyX na entrada do estômago, por meio do método TIF, do inglês Transoral Incisionless Fundoplication, ou Procedimento Transoral de Fundoplicatura. O objetivo é fechar o esfíncter esovagiano inferior, aumentando seu tônus e promovendo assim a melhora de sintomas e reduzindo significativamente os episódios de refluxo gastroesofágico.

*Hands On*

A operação integrou a programação do curso de endoscopia bariátrica, que aconteceu nos dias 6 e 7 de maio e é internacionalmente conhecido. Dirigida por Manoel Galvão Neto e pelo cirurgião do aparelho digestivo e endoscopista Luiz Gustavo de Quadros, a formação atualmente conta com a participação de mais de 30 participantes do Brasil e de outros países da América Latina, como Equador, Argentina e Colômbia.

Os médicos discentes ainda tiveram a oportunidade de conhecer de perto o EsophyX e interagir com o dispositivo para entender, na prática, como o mesmo funciona. Isso durante uma experiência prática de treinamento do curso, que leva o nome de Hands On e que, segundo Grecco, que acompanhou todo o processo, foi extremamente elogiada.

“A devolutiva foi fantástica. A gente teve um feedback muito positivo de médicos que participaram. Eles puderam identificar que requer treinamento, experiência, porém é um procedimento de fácil execução para quem está devidamente treinado. Com certeza abrirá as portas para treinamentos futuros e até mesmo utilização do equipamento”, destaca.

No primeiro dia, o evento também contou com uma apresentação, por videoconferência, de Kenneth Chang, preceptorship da EndoGastric Solutions, empresa norte-americana responsável pelo desenvolvimento do EsophyX, em 2011. Ele é considerado o médico com maior experiência em número de casos do TIF, que é usado nos Estados Unidos e Europa há mais de dez anos para tratamento da Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE).

38 visualizações0 comentário