Teste de Refluxo

O teste de refluxo é uma avaliação prévia e indica se você pode se beneficiar de opções adicionais de tratamento do refluxo, como o procedimento TIF .

Importante: este teste não substitui a avaliação médica.  

Perguntas Frequentes

IMPORTANTE: Esses dados e informações não substituem a consulta médica. Procure o especialista de sua confiança para fornecer detalhes precisos para o seu caso. 

1
2
3

Como posso saber se possuo a Doença do Refluxo Gastroesofágico?
Caso sinta azia frequentemente, sensação de queimação, regurgitação, distúrbios de sono, dor torácica intensa, mau hálito e aftas recorrentes, consulte seu médico para realizar os exames de diagnóstico.

 

Como é realizado o tratamento medicamentoso para o DRGE?
Frequentemente, os medicamentos mais receitados são os antiácidos, utilizados principalmente após as refeições ou antes de dormir, e aqueles remédios denominados inibidores de bomba de prótons, os quais têm o objetivo de reduzir ou impedir a produção de suco gástrico no estômago e ajudar na cicatrização do esôfago. 

Em que casos uma intervenção cirúrgica é necessária?

Primeiramente, é importante que haja uma certeza do diagnóstico para a seleção de um paciente para cirurgia. As alternativas são:

- Procedimento TIF :

O EsophyX  é um dispositivo médico inovador para o tratamento da doença  do refluxo gastroesofágico (DRGE) crônico. 
A abordagem, chamada Fundoplicatura Transoral sem incisão (TIF) tem o potencial

para tratar pacientes que não se beneficiam da medicação diária conhecida como inibidoresda bomba de protões (IBP).

O procedimento TIF recria a barreira anti-refluxo entre o esôfago e o estômago e é realizada via trans-oral (endoscopia tradicional terapêutica).

O procedimento pode reduzir uma hérnia hiatal pequena e cria uma válvula entre o esôfago e o estômago para restaurar a fisiologia e a anatomia natural para evitar o refluxo. Como o procedimento é sem incisão, há redução da dor, menor tempo de recuperação  e nenhuma cicatriz visível. 

- Cirurgia de Fundoplicatura:

Nos casos em que a DRGE é mais grave, na maioria das vezes associada a hérnias de hiato maiores de 5 cms, faz-se necessária a reconstrução da anatomia do estômago e do esôfago para controlar a doença. O procedimento tradicional para esses casos é chamado de fundoplicatura. Por meio de videolaparoscopia, o cirurgião corrige a hérnia e também dobra e fixa a parte superior do estômago criando, com isso, uma nova válvula anti-refluxo.

E-Books e Publicações

1/1