MANIFESTAÇÕES EXTRA-ESOFÁGICAS DO REFLUXO

Atualizado: 11 de Dez de 2020



Artigo do Dr. Victor Eulálio Sousa Campelo

Link do artigo: https://forl.org.br/Content/pdf/seminarios/seminario_20.pdf


Refluxo faringo-laríngeo refere-se ao refluxo gastro-esofágico que atinge um nível superior ao esfincter esofageano superior (EES) e vem sendo implicado na patogênese de uma série de distúrbios otorrinolaringológicos, incluindo laringite crônica, nódulos vocais, laringoespasmo, edema de Reinke, úlceras e granulomas de pregas vocais, globus faríngeo, entre outros.

A prevalência de distúrbios relacionados ao refluxo faringo-laríngeo (RFL) na prática otorrinolaringológica é estimada em 4 à 10%, e a prevalência de RLF em pacientes com alterações vocais e disordens laríngeas atinge 50 à 78%.


Refluxo gastroesofágico (RGE) é definido como a passagem involuntária de conteúdos gástricos no esôfago, é um processo fisiológico normal que acontece ao longo do dia em crianças saudáveis e adultos. Conteúdos de RGE podem incluir comida ingerida e bebidas, além de saliva, suco gástrico ou pancreático, e secreções biliares. A maioria dos episódios de refluxo acontece no esôfago distal, é breve e assintomático. Regurgitação é definida como passagem de refluxo de conteúdos gástricos na faringe oral. Vômito é definido como expulsão do refluxo conteúdos gástricos pela boca. RGE acontece durante episódios de relaxamento passageiro do esfíncter esofageano inferior (EEI) ou adaptação inadequada do tônus do esfíncter a mudanças em pressão abdominal.


17 visualizações0 comentário